Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A vida de Sundays

A vida de Sundays

Serviço público

1. Quando queremos referir que há alguma coisa em determinado sítio ou que uma coisa foi feita já lá vão várias horas, estamos a dizer que EXISTE essa coisa ou que esse tempo foi realmente decorrido e que, por isso, também EXISTE. Nestes casos, queremos dizer que HÁ essa coisa, porque ela efectivamente HÁ ou HOUVE um dia. Com o tempo é a mesma coisa: ele decorre, já passou, ficou lá atrás. O tempo também HÁ! dois dias, muito tempo, dois segundos. O TEMPO EXISTE, O TEMPO HÁ. Repitam comigo, O TEMPO EXISTE, O TEMPO HÁ. Tão fácil, não é? Bora começar a utilizar no dia-a-dia, nos textos mais formais e nas conversas banais? 

 

2. Nem todas as palavras com C levam cedilha! Você não leva cedilha. É isso mesmo, voçê não existe, amiguinhos. Mereçer também não. Não, não estou a brincar, não existe mesmo. E está-me a querer parecer que nem o novo acordo ortográfico veio alterar esta regra tão simples. Então vá lá: antes do E e do I a cedilha pode ficar descansadinha da vida e não interferir na conversa, pode ser? Estamos combinados?

 

Não sei se é do meu círculo de amigos virtuais, se é uma síndrome que por aí anda a assolapar o pessoal, mas isto fere os olhos.