Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A vida de Sundays

A vida de Sundays

Fui e voltei

Na última semana estive ausente, mas por um bom motivo. Dei um saltinho até ao Algarve com o namorado para passar aqueles que possivelmente foram os últimos dias de descanso deste verão (a ver vamos). Não tem sido um ano fácil, a tese não me dá descanso e mesmo quando decido parar é difícil desligar do tema. Por isso mesmo, na última segunda-feira rumámos até Quarteira. Tinhamos escolhido o hotel há cerca de um mês, num daqueles portais de descontos, graças ao qual conseguimos fazer a reserva por um preço amigável (digamos, bastante amigável). Foram quatro dias de puro descanso, e só não foram cinco porque um percalço fez com que ficasse o último dia de papo para o ar, em casa, tipo vegetal. Devo ter de ir à bruxa ou, em alternativa, tenho de começar a fazer uma mezinha caseira antes de ir de férias, que isto ultimamente é cada tiro, cada melro: "ai vais de férias, descansar e estender o lombo ao sol? Toma lá, maleita para ti!", é qualquer coisa deste género. Mas, por agora, concentremo-nos nas coisas boas. 

 

Pelos lados da marina de Vilamoura é disto que se encontra. Apesar de ser "apenas" o transporte de um "qualquer" turista, assemelhava-se mais a um artigo de museu, tal era a quantidade de pessoas que se aproximava para tirar fotografias ou simplesmente para olhar mais de perto.  É isto que é a outra vida, não é?

 

Ainda deu para um dia no Aquashow. Apesar de ser fã de uns bons rebolanços aquáticos, chateia-me que o espaço esteja cada vez mais comercializado, principalmente quando isso envolve a vida de seres vivos. Em todas as esquinas havia promotores com araras, águias e cobras ao ombro, que insistentemente perseguiam as pessoas para tirar fotografias com os animais. Fui abordada mais de cinco vezes. Quando me perguntaram "queres experimentar?" pensei que estivessem a oferecer aperitivos, mas não, estavam mesmo a sugerir que metesse uma águia ao ombro, como se por magia, ao final do dia me desse uma vontade súbita de dar 10€ pela fotografia com o animal. Podia referir imensa coisa sobre o parque, mas só me apetece mesmo dizer isto.

 

Uma das muitas contribuições para me tornar um pequeno pote. E como era bom! Sim, aquele chocolate por cima do waffle mais próximo (que por acaso era o meu) é mesmo Nutella. Dos deuses!

 

O hotel QuarteiraSol foi uma surpresa. Não estávamos à espera de grandes luxos, visto que, como já disse, o preço ficou bastante em conta, e a verdade é que quando as expectativas estão baixas as surpresas sabem sempre melhor. O hotel é moderno, tem um espaço comum enorme e com imensos sofás onde é possível ver televisão ou navegar na internet, o nosso quarto era pequenino mas super moderno e limpo diariamente (ficámos no último andar, que para além de ser bastante sossegado, tinha uma vista liiiinda para o mar e um terraço gigante). Acho que o único contra é mesmo o facto de não disponibilizarem wifi nos quartos.

 

A vista do quarto do hotel.